Banhe-se numa cachoeira e saia dela outra pessoa. Algo como lavar o corpo e a alma. Inclua nesse pacote um cenário único, dos bosques encantados dos contos de fadas.

A experiência embaixo de uma queda d’água eletrizante será imperdível e exige uma boa dose de coragem. Já entrei embaixo de cascatas algumas vezes, mas experiência na Cascata da Portela do Homem, no Parque Peneda – Gerês, em Portugal, foi extraordinária. 

Primeiro porque não sou tão jovem e venci etapas aventureiras. Devo isso ao ar muito puro, muito oxigênio no cérebro, um choque térmico, água de gelar até os ossos que colocou minha circulação sanguínea a mil e a vontade de desafiar meus limites. É claro um sol de torrar os miolos e o um suadouro pela caminhada entre pedras  num rio de montanha, acidentado, e uma trilha de poucos metros de descida, mas de dar medo para quem não gosta de alturas, foi o complemento para estimular a vontade de entrar embaixo da cascata.

Depois disso, a surpresa ao chegar a pequena lagoa verde esmeralda formada pela queda d’água é melhor que qualquer anti-depressivo.  Impossível resistir ao mergulho. Você não sabe por que está nadando tão rápido. Se é porque deseja chegar aos pés da cascata, ou porque a água é tão gelada que não pode parar porque congela o corpo. Mas depois que consegue alcançar a pedra e se colocar de forma segura para receber  uma benção natural em dose ‘cavalar’ é outra história. 

Imagine-se com uma carga potente de energia sobre os teus ombros. Sangue circulando a mil e uma sensação purificadora! Ali, naqueles minutos de intensa hidromassagem o estado é de êxtase. Puro vazio mental. Dizem que só o fato de mentalizar esse banho já ajuda como anti-stress. Então, aproveitem a dica e sigam as sensações

O Parque tem recantos maravilhosos, com inúmeros rios de pedra cortando a mata. Uma autêntica floresta européia, como aquelas de histórias encantadas cheias de bruxas escondidas pelos bosques, gnomos e duendes.

Bosques, matos, vegetação ripícola e turfeiras para além de matos húmidos – destacando-se a presença de várias espécies raras e endémicas. Alberga alguns dos mais importantes carvalhais de Portugal. Interessantes habitat seminaturais. Diversidade de espécies faunísticas com estatutos diferenciados: endémicas (salamandra-lusitânica); ameaçadas (lobo-ibérico); de distribuição limitada (cartaxo-nortenho)… No mosaico agrícola destacam-se os prados de lima e lameiros.

É um mundo à parte em que a atividade humana se integra com a natureza, preservando valores e tradições muito antigos, que se observa nas aldeias comunitárias de Pitões das Júnias e Tourém. 

É o único parque nacional de Portugal. Ocupa uma área com cerca de 70 mil hectares, distribuídos por cinco concelhos: Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Terras de Bouro e Montalegre. Geograficamente, abrange o Planalto de Castro Laboreiro e o Planalto da Mourela. Entre os dois situam-se as serras da Peneda, Soajo, Amarela e Gerês. Esse parque tem uma característica interessante, é habitado por cerca de nove mil pessoas

 

Um itinerário pelo Parque, o Soajo, certamente o turista ao avistar os espigueiros de longe, com a cruz no alto do telhado, poderá imaginar uma capelinha. Nada disso,  a cruz tem o sentido de proteção. 

As estranhas construções feitas em pedra eram mantidas  para guardar cereais e tinham apenas frestas pequenas para ventilar e não permitir que animais entrassem nos locais para se alimentar.

Infelizmente,  as pegadas sujas do bicho homem na cachoeira da Portela do Homem, sempre estão em qualquer lugar. 

A natureza em explosão de beleza, com suas cachoeiras e vegetação. Um lugar que está acessível ao homem para usufruir de suas belezas e alimentar-se dos benefícios do ar puro e de um bom banho de rios de montanhas, no verão. Esse filme mostra uma das cachoeiras, a mais linda na minha opinião pessoal, mas que com tristeza observei máscaras de proteção contra o covid-19 jogadas entre as pedras do rio. É inadmissível algo assim! O homem não tem jeito…

 

A serra mais a sul é a do Gerês, cuja porta do Parque, em Campo do Gerês, é a que fica mais perto de Braga. Nesta serra ficam as albufeiras das Barragens da Caniçada e de Vilarinho das Furnas, locais de grande beleza, tendo esta última submergido a povoação que lhe deu o nome.

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é considerado pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera de forma a possibilitar “a conservação do solo, da água, da flora, da fauna e da paisagem.

É uma das maiores atrações naturais de Portugal, pela rara e impressionante beleza paisagística e pelo valor ecológico e etnográfico] e pela variedade de fauna (íbex-ibéricos, corços, garranos, lobos, aves de rapina) e flora (pinheiros, teixos, castanheiros, carvalhos e várias plantas medicinais). Estende-se desde a serra do Gerês, a Sul, passando pela serra da Peneda até a fronteira espanhola. Fonte: Wikepédia.

 

Entrar numa área dessas é como integrar-se a um santuário. Ali, a palavra de ordem é  de respeito e atenção!

A dica fica para brasileiros que têm interesse de conhecer Portugal. O Parque Peneda- Gerês não aparece em muitos roteiros turísticos internacionais. 

É certo que brasileiros têm em abundância parques naturais, mas conhecer, mesmo por leitura e fotos, uma área como de Peneda-  Gerês sempre é como acrescentar conteúdo a mais aos nossos conhecimentos.

30 de setembro de 2021

Banhos revigorantes de cachoeira no cenário mágico do Parque Peneda – Gerês

Banhe-se numa cachoeira e saia dela outra pessoa. Algo como lavar o corpo e a alma. Inclua nesse pacote um cenário único, dos bosques encantados dos […]
24 de janeiro de 2019

Capela dos Ossos em Évora construída para refletir sobre a fragilidade humana

“Nós Ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”. Parece piada de mau gosto para uma sociedade como a nossa que trata o assunto morte como se […]
22 de fevereiro de 2018

Pequena Tivoli é gigante em memória histórica

Poucos que visitam Roma sabem que bem pertinho da capital romana está localizada Tivoli. Uma pequena comunidade em tamanho, com um pouco mais de 40 mil […]
23 de janeiro de 2018

A coleção de Peggy Guggenheim

A coleção de Peggy Guggenheim( 1898-1979) é um delírio para todo amante da arte moderna do século 20. Visitá-la no Pallazzo Vernier dei Leoni, em Veneza, […]
13 de novembro de 2017

Amelia em três tempos

Amelia não é o samba famoso de Ataulfo Alves. Amelia a que nos referimos, sem o acento agudo, é uma das mais antigas cidades da Itália, […]