“O leite dos sonhos”. Bienal de Veneza 2022

‘O Corpo na Linha de Borda’ tece sensibilidades
20 de janeiro de 2022
Música e literatura mudam a vida das crianças do Guarituba
3 de fevereiro de 2022
Exibir tudo

Os italianos não perdem a mania de pincelar com lirismo a vida. "O leite dos sonhos" é o título da 59º edição Bienal de Veneza.

A mostra de arte mais antiga do mundo  foi  programada para acontecer entre 23 de abril e 27 de novembro de 2022,  O artista  alagoano Jonathas de Andrade foi escolhido e é um dos primeiros nomes brasileiros para representar-nos no pavilhão brasileiro da Bienal.  “No comunicado oficial, o artista se disse surpreso e honrado com o convite:  ‘A ideia de representar o Brasil hoje, seja onde for, é antes de tudo um desafio pela responsabilidade diante do quadro de complexidades cruciais que o país enfrenta. Que a arte consiga traduzir o embaraço que é viver nos nossos tempos e que inspire sonhos que permitam desatar esses nós’.  fonte O Globo. 

Como  uma apaixonada por Veneza, sobretudo quando conjuga o verbo poetizar espalhando arte por todos os cantos de seus casarões a vielas memoráveis, celebro a escolha do artista alagoano.  Confesso que sua vídeo instalação, O Peixe,  me impressionou muito quando assisti na Bienal de São Paulo – Faz escuro mas eu canto.  Gravei trechos e coloquei no meu canal no Youtube e o vídeo foi um dos mais assistidos e controverso. 

A exposição Internacional de arte terá como título  Il latte dei sogni/ The Milk of Dreams ( O leite dos sonhos). A exposição leva o nome de um livro de Leonora Carrington no qual, como explica Cecilia Alemani, «a artista surrealista descreve um mundo mágico em que a vida é constantemente reinventada pelo prisma da imaginação e no qual se permite mudar, transformar, tornar-se diferente de si mesmo. A exposição propõe uma viagem imaginária pela metamorfose dos corpos e definições do humano”.

O título sugestivo nos remete a nossa ancestralidade, a mãe (terra) que alimenta, a nossa capacidade de sonhar, O leite que alimenta os nossos sonhos está contaminado? Essa é a minha interpretação, mas a curadora, Cecilia Alemani, explica que foi um título escolhido de um processo participativo envolvendo os artistas de todos os gêneros. “Desses diálogos – acrescentou o curador – emergiu persistentemente uma série de questões que não só evocam este preciso momento histórico em que a própria sobrevivência da humanidade está ameaçada, mas que resumem muitas outras questões que têm dominado as ciências, as artes e os mitos de nossa Tempo.

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.