Tecnologia e arte em ‘Acordo Global’

Jardim artificial de Hito Steyerl é a parte lúdica na Bienal de Veneza
24 de outubro de 2019
Banksy: o vândalo genial que não se revela
6 de novembro de 2019
Exibir tudo

A tecnologia cada vez mais faz da arte uma mistura de prazer e pensamento crítico. ‘Global Agreement”(Acordo Global), do artista francês Neil Beloufa, trata da interferência das mídias sociais na vida moderna. A instalação,  que se encontra exposta na Bienal de Veneza, consiste em uma série de entrevistas em vídeo via Skype com jovens soldados – homens e mulheres – de diferentes países.  Beloufa instalou um conjunto de dispositivos de treinamento semelhantes as encontradas em academias que funcionam como estações de visualização de uma série de vídeos.

As estruturas são rígidas e ao mesmo tempo atraem o observador que se interessa em assistir aos vídeos. Para assistir é necessário sentar-se em almofadas e encostar a cabeça no dispositivo, aquele que mais parece um aparelho para exame oftalmológico, e uma vez em posição, com movimentos restritos e de certa forma numa posição desconfortável, o espectador confronta-se com rostos pré-gravados exibidos no estilo de bate-papos em vídeos para dispositivos móveis.

A instalação “Acordo Global” é uma alegoria do ambiente virtual. A interessante posição desconfortável que o artista coloca o espectador para participar do ‘pseudo’ bate-papo com o entrevistado no vídeo,  é  irreverente. Nos faz sentir parte da obra, com a sensação do entrevistado estar falando com você, quando na realidade a conversa foi elaborada e idealizada entre o artista e os entrevistados.

Talvez você viva mesmo em tempos interessantes!

 

 

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.