Shilpa Gupta deu voz aos poetas presos e silenciados por suas crenças

“Interesting Times” dalla Biennale 2019 a Venezia
8 de outubro de 2019
Artistas chineses na Bienal de Veneza expõem o poder
17 de outubro de 2019
Exibir tudo

A instalação sonora “For In Your Tongue, I Can Not Fit -100 Jailed Poets”, no Arsenale, na Bienal de Veneza 2019,  é visceral. Atinge a sensibilidade do espectador e o faz pensar naqueles que lutaram e morreram por suas crenças. Essa é intenção de Shilpa Gupta, artista indiana, ao dar voz aos poetas presos e silenciados por suas poesias e crenças. São 100 folhas impressas espetadas em barras de metal, acompanhadas por microfones e a gravação dos poemas.

É uma obra profundamente sensorial, eloquente, pelo ambiente projetado pela artista que pesquisou poetas desde o século VII até os dias de hoje. Entre as poesias encontra-se a do poeta de Immadadin Nazimi, do Azerbaijão, que viveu no ‘século XIV e foi esfolado vivo em Aleppo.

Na medida que visitante se aproxima do microfone é declamada a poesia que consta na folha impressa. Os idiomas são variados, árabe, turco, inglês, indiano e russo. A obra destaca a fragilidade e vulnerabilidade de nosso direito à liberdade de expressão hoje em dia – e a bravura daqueles que lutam para resistir. Ao longo de uma hora, cada microfone, por sua vez, recita um fragmento das palavras dos poetas, faladas primeiro por uma única voz e depois ecoadas por um coro que se desloca pelo espaço.

 “O título da obra é inspirado em um poema do poeta do século XIV conhecido como Nesimi, nascido no que é hoje o Azerbaijão moderno e executado pelas crenças religiosas expressas em sua poesia que contrariam as doutrinas contemporâneas dominantes. Este é um dos vários poemas históricos incluídos na obra (com os primeiros datando do século VII). A grande maioria dos poemas, no entanto, decorre do século XX até os dias atuais, refletindo o envolvimento particular do artista com a ascensão do Estado-nação e as lutas sociais e políticas relacionadas à autodeterminação e acesso à democracia e aos direitos humanos”. Fonte: Architeraldigest

Shilpa Gupta nasceu em Mumbai, 1976,  e diz que a sua pratica é muito fluída e que trabalha com o cotidiano. Usa desenho, fotografia, vídeo, escultura, som e performance.

 

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.