O brasileiro Vick Muniz abre a temporada de artes em Veneza

História de Nicoletta. Da série Mentes Inquietas
6 de janeiro de 2017
Arquitetura contemporânea na tradicional Ravello
11 de janeiro de 2017
Exibir tudo

Autorretrato feito em mosaico de recortes de revistas e fotografado.

A primavera no mundo das artes em Veneza, na Galeria do Palazzo Cini, em San Vio, inicia com as obras do artista brasileiro Vick Muniz. A mostra ‘Afterglow: Pictures of Ruins’ abre no dia 21 de abril ( um pouco antes da 57a Bienal de Veneza/13 de maio- 26 de novembro) e encerra no dia 24 de julho.

A oportunidade é ímpar para brasileiros que costumam ir à bienal veneziana. Entre maio e julho será possível conhecer o extraordinário trabalho de Muniz. O artista e fotógrafo paulista, que vive há 25 anos em Nova Iorque, atraiu a atenção da comunidade artística internacional com fotografias de trabalhos realizados a partir de técnicas variadas e materiais quase sempre inusitados – como a Mona Lisa feita de pasta de amendoim, o Che Guevara desenhado em geleia ou o retrato de Elizabeth Taylor montado a partir de centenas de pequenos diamantes.
Vick Muniz. Mona Lisa revestida com pasta de amendoim

Mona Lisa revestida com pasta de amendoim

As suas séries de imagens surpreendem quando insinuam o consumo exagerado, lixo e apresentam os pecados da humanidade como a obra-protesto, o barco de papel lançado no mar de Veneza durante a bienal de 2015.

Os artesãos construíram uma embarcação de 14 metros em madeira e inteiramente revestido com as notícias sobre a o naufrágio do barco Líbio na costa da Itália, carregado de imigrantes ilegais.

A ideia original era de servir de lembrete sobre a operação Mare Nostrum e as tragédias que poderiam acontecer de novo na costa da Europa.
Obra-protesto, Lampedusa, lançada no mar de Veneza por ocasião da Bienal de 2015

Obra-protesto, Lampedusa, lançada no mar de Veneza por ocasião da Bienal de 2015

A originalidade de sua obra lhe garantiu o reconhecimento da crítica e o estabeleceu como um dos criadores mais bajulados da arte contemporânea, presente no acervo dos principais museus do mundo.

Vik Muniz, filho de um garçom e de uma telefonista, criado em São Paulo, onde iniciou estudos de artes, mudou seu destino no momento em que tentou ajudar uma pessoa numa briga e levou um tiro. O autor do disparo foi a mesma pessoa que estava defendendo na briga. Para compensar o transtorno, o homem ofereceu-lhe uma boa quantia em dinheiro e foi o que bastou para financiar sua viagem a Chicago, em 1983. Dois anos depois ele foi para Nova York, onde vive até hoje.

O sucesso, no entanto, chegou somente há 14 anos, quando um crítico do New York Times foi conferir a exposição principal de uma galeria e se deparou com a série ‘Sugar Children’ alojada discretamente em uma sala dos fundos. Encantado, ele escreveu uma resenha que abriu inúmeras portas ao brasileiro: além de receber  um convite para participar da prestigiosa mostra New Photography, no MoMA, Vik viu suas obras serem adquiridas por museus como o Guggenheim e o Metropolitan Museum of Art.

A frase de Vik Muniz escrita no início da exposição mostra humildade de um mestre.  “Acredito que nem todas as pessoas sejam artistas, mas todas que desejarem ser, possuem tudo que o mundo tem a oferecer para que, um dia, elas se tornem, se eu pude, qualquer um pode”.

 

 

 

 

 

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Os comentários estão encerrados.