Arte dá visibilidade ao tema transgênero

‘Ágora:OcaTaperaTerreiro’ e a diversidade brasileira
23 de novembro de 2016
Aforismos (II)    
25 de novembro de 2016
Exibir tudo

Boy Radio Silhouette, 2016. Photograph: Fred Attenborough

 Artistas se unem para resistir a onda reacionária americana

 É inegável que a eleição de Donald Trump para a presidência dos EUA  e sua vitória causou a muitos americanos desconforto, sobretudo para aqueles que fazem parte das minorias. Salvo o grande sucesso entre os brancos da zona rural e algumas esporádicas exceções, o magnata de Nova York permanece decididamente impopular a todos os grupos sociais que de qualquer modo não compactuam com a ideia do ‘americano perfeito’ defendido pelos mais conservadores.

A crescente de intolerância e discriminação  acordou o mundo da arte, que buscou novos instrumentos de reflexão e abertura mental. Uma série da mostras sobre o tema ‘transgênero’ organizado durante e depois das eleições colocou no centro do debate os direitos das minorias sexuais na sociedade americana.

Para testemunhar esse novo momento o Museu da cidade de Nova York programou ‘Gay Gotham’, sobre o papel da criatividade ‘queer’ do século passado, enquanto o Museu Trans History & Art organizou a exposição ‘Trans History in 99 Objects’, que traça a história da cultura  sobre o corpo transgênero nos EUA. Iniciativas como essas demonstram que o mundo da cultura criou uma frente unida para resistir a onda reacionária que atingiu a sociedade americana, lembrando-nos que a grandeza de um país está na sua abertura para a diversidade e no seu pluralismo e não na homologação identitária.

Fonte: The Guardian

Publicação original: Exibart

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Os comentários estão encerrados.