Kan Yasuda queria 'Tocar no Tempo' com suas obras em 2007, expostas em Roma. Numa mostra inesquecível colocou 30 esculturas minimalistas nas ruínas romanas do Mercado de Trajano. Se fosse possível 'Tocar no Tempo' 2020 seria diferente.

O artista usou o mármore, o bronze, o granito,  mesmo material utilizado nas esculturas de um passado remoto, porém com formas puras e linhas retas. A obra intitulada Myomo remete o observador a um túnel do tempo dependendo do ângulo que se vê ou que se toca.

Há mais de 10 anos, Yasuda apostava no “tato como testemunho daquilo que estamos vivendo”. Mas pergunto: como poderemos lidar com o toque, o tato, a partir de 2020? 

A resposta, o tempo se encarregará de nos dar.  Nela, estará inserida toda a batalha contra um organismo minúsculo e invisível que fez o mundo obrigatoriamente, abominar o toque para não morrer sufocado. 

Aliás, se fosse possível tocar no tempo  em 2007, talvez a humanidade ainda não tivesse a sensibilidade para entender que está explorando o planeta à exaustão. Algo muito terrível teria que acontecer para mostrar o equívoco de uma vida somente voltada ao consumo.

 

Myomu

“‘Minimalismo” e “animismo cósmico’ são os únicos “ismos” possíveis que se adequam a Kan Yasuda e que são capazes de definir sua arte. Ambas as categorias, mesmo antes de serem fundamentais para a crítica estética, são conceitos filosóficos. O “minimalismo” é expresso nas formas puras que Yasuda cria e, em seguida, estabelece em um determinado lugar – no caso de Roma, entre os espaços dos Mercados de Trajano, onde os conceitos de “universalidade” e “eternidade” são combinados com a sede e com sua linguagem artística – com infinita humildade e atenção. Obras colocadas no espaço como presenças vivas e, em certo sentido, sagradas”. Fonte: Museo dei Fori Imperiali

Em 2007, tive o prazer de visitar a mostra ‘Toccare il Tempo’ de Kan Yasuda, no Mercado de Trajano, ruínas romanas localizadas próximo ao Coliseu e Fórum Imperial.  A sensação foi de estar num templo, no qual o passado e o presente mesclavam-se num só espaço,

Kan Yasuda foi privilegiado em escolher um local tão significativo para sua primeira mostra individual. Posso dizer apoteótico!

Depois foi até Pizza, cujo o contraste do tempo também foi extraordinário. 

Os acontecimentos atuais, o Covid 19, nos mostram uma nova realidade que exige uma revisão no comportamento dos homens. Se estamos à mercê de um organismo invisível que declarou guerra aos humanos, significa que o modelo atual está desgastado. 

Os artistas sempre visionários deixam suas mensagens nas entrelinhas  de suas criações e a ‘Toccare il Tempo’  nos mostra que o artista será sempre atual em suas inspirações e provocador.

Se fosse possível Tocar no Tempo ou seja, Toccare il Tempo, como  Kan Yasuda sugere, certamente, viajaríamos ao futuro e poderíamos ter evitado esta catástrofe e muitas outras que ficaram para trás.

16 de julho de 2020

Se fosse possível ‘Tocar no Tempo’

Kan Yasuda queria ‘Tocar no Tempo’ com suas obras em 2007, expostas em Roma. Numa mostra inesquecível colocou 30 esculturas minimalistas nas ruínas romanas do Mercado […]