Nova logomarca do PanHoramarte adquire leveza e fortalece o conceito

Mata Pequena é aldeia reinventada para ter sabor dos ‘tempos idos’ em Portugal
29 de julho de 2022
Muitos mundos em Veneza emergem da Bienal das Artes
12 de agosto de 2022
Exibir tudo

PanHoramarte atualiza sua logomarca. Mais leve e ao mesmo tempo mais forte no conceito e na certeza de seus conteúdos, que mesmo diversificados, têm poética e arte.

É tempo de mudar, como o Brasil precisa mudar porque nosso coração bate no lado esquerdo do peito. Seguimos com fé e esperança de que tudo, tudo, vai dar certo, como canta Gilberto Gil, em ‘Não chores mais’.  

O violeta na cor do site, já desde a sua criação, não foi definido aleatoriamente. É a cor da transmutação e da transformação e  reinventar -se é receita básica para o bem viver. É a arte que faz essa transmutação!

 A ilustradora do PanHoramArte, Marcela Weigert, para criar ‘o novo visual’ seguiu a base da logo antiga e substituiu a pupila pelo @ no centro de uma espiral violeta. Na logomarca, o olhar é globalizado e o movimento é sempre ascendente e progressivo.

 

O nome Pan-horamarte é para destacar a evolução histórica da palavra panorama e a sua transliteração que tem origem no grego. O prefixo Pan, significa “todo” – e horam – “visão”. A Visão do Todo que o tempo condensou em Panorama. Propositalmente ao fazer caminho inverso e retornar a  origem da palavra panorama (a visão do todo) destacamos a importância da etimologia e a unimos a arte, por ser também a visão do todo no sentido criativo.

      PanHoramArte         

É com orgulho que celebramos 16 anos ininterruptos de circulação online. Foi preciso muita coragem e determinação para mantê-lo sem desistir e com um objetivo que superasse a necessidade do lucro, num sistema comercial avassalador e voraz que é o mundo da internet. Mesmo assim insistimos e não deixamos de sonhar e ser utópicos.

Nesses anos todos PanHoramArte evoluiu na sua linha editorial e fixou-se em conteúdos que destacam a preservação ambiental, a igualdade social e o fortalecimento da cultura, pelo olhar da arte. 

O site surgiu da vontade de publicar a  pesquisa que fiz sobre internet e artistas plásticos do Paraná na monografia de pós-graduação em História da Arte Moderna e Contemporânea, pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Empab), em 2006.

O entusiasmo era tanto que desejava compartilhar as minhas descobertas e o comportamento social dos artistas plásticos na época em que poucos usavam portfólios online e as redes sociais.  Facebook chegou no Brasil em 2007 e poucos usavam, Orkut ainda existia. Lembro que entrei em 2009 na Itália, por convite de amigos de lá.

Achava a internet seria o meio mais democrático que o ambiente fechado dos Salões Culturais e Museus na ascensão de um artista. Ledo engano meu e eis que o tempo mostrou diferente com a manipulação da opinião pública, a monopolização de um sistema econômico online nas mãos dos gigantes tecnológicos  como Google, Facebook. A perda de privacidade, o surgimento da mentira virando verdade, o fortalecimento da extrema direita e muitas coisas mais que não poderiam ser previstas a partir de um olhar com poética.

 

Talvez um eterno e lento aprendizado para se defender daquilo que não está correto e fortalecer nossos princípios. Por isso, nesse reinventar do PanHoramArte vamos manter a mandala da Utopia sempre girando em torno do livro (da educação) em igualdade social, como mostra de forma lúdica a ilustração.

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.