Muito além do olhar. Dar asas à imaginação

Balance 2017. Rumo 2018
29 de dezembro de 2017
Biblioterapia – revisão 2017
4 de janeiro de 2018
Exibir tudo

Uma arbusto tremulava sobre a água de um pequeno canal, numa das vielas impregnadas de história, em Veneza, na Itália. O efeito da luz e sombra refletindo sobre a planta na água criava uma composição fora do comum. Imediatamente parei, fotografei, filmei o que o meu olhar interpretou. A palheta de um pintor misturando algumas matizes do verde e do dourado. 

A diferença era que a natureza fazia o papel do artista na criação de uma obra de arte instantânea. Mostrei a foto para outras pessoas e escutei novas interpretações: é uma imagem de satélite, um quadro abstrato…

(Imagens de Mari Weigert – Música Rhythm Changes, John Deley and 41 Players. Autorizada pelo Youtube. Veneza/2017).

Acho fantástico ampliar o olhar e descobrir o que pode resultar de uma composição singela. No meu caso, o exercício de ampliar o olhar é constante, às vezes sem querer já estou dando asas à imaginação..

Imagens da Infância

Exercitar a criatividade, ampliando o olhar, é alcançar o  mundo da imaginação. Já é praxe da minha parte, considerando que desde criança uso dessa viagem mental, que  no fim das contas se transforma num refúgio contra o tédio….

IMG_1981

A lembrança de tentar imaginar o que as nuvens  formavam no céu é terna e doce, aliás com sabor de algodão doce. Especialmente porque meu pai era quem estimulava essa brincadeira.

A recordação de olhar pela janela e viajar pelos mais belos sonhos nas aulas de religião, quando era ainda menina, é engraçada. Confesso que aula era um tédio. Sem citar que foi assustador o dia que a freira mestra me perguntou, de surpresa,sobre o tema da aula. Com o tempo aprendi a exercitar a audição, consigo agora me manter atenta nos dois universos ao mesmo tempo.

Fotos que dizem mais

foto1a -Dama d`água

As fotos que fazem parte do “Diálogos com a Água”, que mantenho no site está dentro desse contexto. É um delírio, certamente. Deixei meio mundo maluco perguntado sobre a mulher que enxerguei no jato de água que jorrava de uma fonte romana da Vila Borghese, na Itália. Jamais consegui outras iguais.

novas 264 (1)

A foto do antigo poço que fornecia água aos cristãos na Capadócia tornou-se minha preferida. O fundo azul me fez imaginar diversas situações. A energia que se mantinha perene dentro daquele túnel, no mundo subterrâneo construído nas rochas, foi captada pela foto. Coisas desse nível, cujos pensamentos voam  com liberdade, sem auto-censura.

IMG_3983

Bienal de Veneza/2017. Artista: Jelili Atiku – Nigéria. Obra: Mama Say Make

Acredito que por fazer esse exercício mental tenho tanta afinidade com arte contemporânea. Os artistas dão a oportunidade às pessoas de viajarem livremente em seus conceitos projetados nas obras de arte.

Minha neta mais velha, Catarina (6 anos), adora quando começo a inventar histórias. Conseguimos até mesmo fazer um peixinho dourado visitar as estrelas ( que era o sonho dele) num balão portando um aquário. A história de Joãozinho e Maria (inventada) e contada tantas mil vezes, transformou-se em sonífero para ela. rsss… Que adora! Pois inventamos sempre.

“No mundo da imaginação vale tudo”, digo a ela.

A cineasta francesa Claire Denis, disse numa entrevista algo que me tocou muito. “O cinema reflete a realidade e faz dela um sonho”, para justificar sua paixão em dirigir. Claire encontrou um modo de viver o sonho.

Adoro essa foto. Eu e minha irmã dançando no entardecer na Praia do Forte, em Florianópolis, Santa Catarina, 2010.

Adoro essa foto. Eu e minha irmã dançando no entardecer na Praia do Forte, em Florianópolis, Santa Catarina, 2010.

Adoro essa foto. Eu e minha irmã dançando no entardecer na Praia do Forte, em Florianópolis, Santa Catarina, 2010.

Convido meus leitores a aprenderem a ampliar o olhar ( quem não o fez ainda) em 2018 e dar asas à imaginação! A vida tem mais graça quando nossos pensamentos são livres para alcançar nossos sonhos… 

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.