A fama das termas de Karlov Vary

Van Gogh autoritratto
Attraverso il disegno e il colore Van Gogh svelava gli stati d’animo della persona
24 de abril de 2017
Erasmus 10 anos depois
3 de maio de 2017
Exibir tudo
Cidade típica e cheia de histórias

Cidade típica e cheia de histórias

A fama das “Águas Quentes de Carlos” circula no mundo especialmente na Europa. É o sentido do nome da cidade – Karlovy Vary – que faz alusão à temperatura do rio Tepla e ao rei da Boêmia Carlos IV, que a fundou em 1358 na República Tcheca.

DSC01726DSC01742A simples lembrança de que muitos personagens ilustres, como o Czar Pedro, O Grande, Frederico I, da Prússia, Louis Pasteur, J.W. Goethe, Beethoven, Wagner, Strauss, estiveram em Karlovy Vary e provaram do poder curativo de suas águas termais já justifica o passeio. A pequena cidade está localizada cerca de 100 quilômetros a oeste de Praga.

Pequena e acolhedora

Karlov Vary tem um pouco mais de 55 mil habitantes é acolhedora e tranquila encravada numa montanha, com uma arquitetura peculiar.

DSC01758Os spas e as 12 fontes dispersas pelo pequeno centro são a grande atração do local. As águas chegam a uma temperatura média de 40 graus centígrados e máxima de 72 graus centígrados e são indicadas para o sistema digestivo ou desordens metabólicas, apesar de cada fonte ter uma característica e ser indicada para um tratamento específico.
A composição delas é similar, mas diferem na temperatura e na quantidade de dióxido de carbono.
A água tem um sabor acentuado que se aproxima ao de ferrugem e é um pouco salgada. No maior e mais famoso gêiser da cidade, chamado Vridlo, a água jorra de uma profundidade de mais de três mil metros e alcança uma altura de quase 15 metros, com uma temperatura de mais 70 graus centígrados.

Próximo às fontes há sempre uma variedade de lojinhas para compras de lembranças, que incluem uma xícara própria para beber a água quente da fonte, uma espécie de caneca com um canudo de cerâmica

Há também uma bebida feita a base de ervas conhecida por ser a “13ª fonte curativa”. O licor produzido na região desde 1807 chama-se Becherovka e foi criado pelo químico Josef Becher. Sua composição exata não é revelada, mas toda a fabricação pode ser vista no museu Jan Becher, que explica as origens da bebida.

DSC01723
Entre um passeio e outro pela rua principal poderá ser vista a casa em que viveu e desenvolveu pesquisas o cientista francês Louis Pasteur, responsável por muitas descobertas no campo da Química e da Medicina.

A cidade é pequena e fácil de ser conhecida a pé.

DSC01741

Entre os pontos turísticos estão o antigo mercado central e as colunatas, onde antigamente realizavam-se feiras, concertos e encontros. A colunata mais importante e grandiosa é a Mill Colonnade, construída entre 1871 e 1881. Lá, 124 imponentes colunas dão suporte e servem de passeio para cinco fontes termais.

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.