Inhotim é simbiose perfeita entre arte contemporânea e natureza

Pássaro de sete cores perdeu seu alimento predileto
12 de outubro de 2016
A Chuva
15 de outubro de 2016
Exibir tudo

O povo de Brumadinho, em Minas Gerais, conta que um minerador inglês chamado Timothy andou por aquelas terras em algum tempo no passado. O mineiro no seu jeito próprio de falar o tratava como Nhô Tim. Assim, nasce Inhotim, um museu de arte contemporânea a céu aberto que estabelece a simbiose perfeita entre poética artística e natureza.

img_0245O americano Doug Aitken construiu o seu Sonic Pavivilion no alto de uma das colinas em Inhotim, rodeado de vegetação exuberante, para captar o som da terra. Talvez o som do Ohm tão usado pelos Yoguis ou talvez não. É uma obra que causa impacto ao visitante.

Pavilhão de vidro e aço, revestido por uma película plástica, com um poço tubular de 202 metros de profundidade, com amplificadores e equalizadores sofisticados para transmitir o som da ‘mãe terra’ em tempo real. É um privilégio visitar essa obra única!

img_0256

Outro americano Mathew Barney com a instalação De Lama Lâmina (2009)colocou dentro de um prisma, já não numa colina, mas embrenhado na mata, um trator com as rodas enlameadas arrancando uma árvore. Uma obra que começou no carnaval, em Salvador, em 2004, e chegou em Inhotim em 2008. que provoca o espectador a refletir sobre o papel do homem e a máquina que lhe dá poder para destruir a natureza.

img_0277

As 500 fotografias de Claudia Andujar sobre a Amazônia e os índios Yanomami é um precioso acervo sobre a vida dos indígenas, cultura e ativismo humanitário e político. Visitar e observar o trabalho de fotógrafa é se envolver com a alma dos povos da floresta, tal é a sensibilidade com que Claudia tratou as imagens e os flagrantes.

img_0303O espanhol Miguel Rio Branco trouxe um Brasil sem identidade, da pobreza e prostituição que se desenvolvia no pelourinho em Blue Tango,  de 1984, em fotos e vídeos.

São 23 instalações e mais obras individuais espalhadas pelo gigantesco parque idealizado pelo empresário mineiro Bernardo de Mello Paz a partir de meados da década de 1980. É uma estrutura, sem dúvida, muito bem administrada e que pode ser visitada à pé ou com o serviço de carrinhos elétricos que o próprio museu oferece. O preço do ingresso é de R$25,00, os hotéis são, maioria, pousadas mais distantes, mas existem a facilidade de táxis ou a opção do turista alugar um carro em Belo Horizonte.

Visitar Inhotim é prazeroso para quem gosta de arte e aprecia ambientes naturais. Um passeio imperdível!

 

 

 

 

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Os comentários estão encerrados.