Ninfeias de Monet para relaxar e encontrar a paz. Impressionismo

Memória cultural nos comércios de Roma
29 de abril de 2016
Droga ou WhatsApp? Brasil é destaque internacional
5 de maio de 2016
Exibir tudo

DSC05131Em tempos de Brasil conturbado vale pontuar no PanHoramarte a serenidade das ninfeias de Monet, enormes telas que se encontram no Museu de L’Orangerie, no Jardim das Tulherias, um parque no centro de Paris. O convite é para relaxar e lembrar que a mensagem do artista francês ao criar sua obra foi de paz!

DSC05130Ao criar as Ninfeias à França, artista desejava oferecer um oásis de paz convidando a todos para se colocarem em estado de contemplação diante da natureza pintada ao infinito.

IMG_1844“Os nervos sob pressão do trabalho se relaxarão seguindo o exemplo repousante destas águas paradas e quem as olha, essa obra oferecerá o asilo da meditação no centro de um aquário florido”, escreveu ele em 1909, quando começou a pensar no projeto.

IMG_1846Para apreciar os gigantescos painéis impressionistas nas duas salas do museu é preciso primeiro entrar numa ‘câmera de descompressão’, idealizada por Monet. Uma sala completamente branca para fazer com que o visitante se purifique e elimine toda a agitação das cidades.

IMG_1426As telas compõem o universo onírico de seu jardim em Giverny, repleto de flores, vegetação e, sobretudo ninfeias(flores aquáticas) que crescem nas águas serenas do pequeno lago da propriedade.

IMG_1851O quadros de grande dimensão foram encomendados pelo primeiro-ministro Clemenceau, e o artista inicia a sua obra em 1914, no começo da primeira guerra.

IMG_1850Em 1918 Claude Monet termina oito painéis e piora do seu problema na visão, provocado por acidente com tintas em 1900. As obras foram terminadas, mas infelizmente o pintor não viveu para ver a inauguração do museu, em 1927. Ele morre em Giverny, aos 86 anos, em 1926.

IMG_5471A primeira sala do museu, depois da branca, mostra o verdadeiro testamento do artista. ‘Representam o resultado de toda uma vida’, escrito na publicação do museu. Desde 1886, Monet se propôs a representar seu jardim no ritmo das variações da luz. Os oito painéis nessas duas salas evocam a paisagem das horas, da manhã, no leste, ao entardecer, no oeste.

IMG_1410Os elementos água, ar,céu,terra, se misturam em uma composição sem perspectiva e centrada no ritmo das flores e das ninfeias. “A ilusão de um tudo sem fim, de uma onda sem horizontes e sem margens”.

Convido aos leitores a relaxarem nos jardins de Monet!

 

 

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Os comentários estão encerrados.