Artista cria livros brancos para devolver os verdadeiros a Bagdá

Bacco Divino: il piacere del vino
2 de fevereiro de 2016
Artista e poeta na Arábia Saudita é salvo
5 de fevereiro de 2016
Exibir tudo

O artista Wafaa Bilal, iraquiano- americano, quer preencher de livros as prateleiras da biblioteca da Universidade de Belas Artes de Bagdá que foi destruída durante a guerra do Iraque em 2003. Para alcançar seu objetivo aposta no crowdfunding on-line ( que já está dando certo)  e arte performática, com a instalação 108.01, exposta na Gallery of Windsor, em Ontario, no Canadá.

Mais uma vez arte e cultura são chamadas para promover a transformação social. 

Ele quer, com o projeto, inaugurar uma nova era no Iraque, mesmo que seja de uma forma simbólica. A ideia é mostrar para o país que a comunidade de artistas, estudantes e professores ainda existe.

“As pessoas já estão conversando entre si sobre a perda e a reconstrução da cultura”, disse Bilal. “A comunicação de alunos e professores com pessoas de fora do país significa mais para eles do que se imagina.” Fonte The Guardian.

Wafaa Bilal. THE ASHES SERIES:

Wafaa Bilal. THE ASHES SERIES:

A biblioteca tinha mais de 70 mil títulos até os saqueadores atearem fogo em toda a coleção. O edifício foi reconstruído mas poucos livros foram devolvidos. O artista costumava visitá-la diariamente no período em que estudava em Bagdá.

Wafaal Bilal  criou a série Ashes que mostra a destruição do país onde nasceu, hoje vive em Nova York e além de artista e professor de artes. A série apresenta miniaturas construídas por ele, retiradas das fotos divulgadas na imprensa sobre cenas da destruição.

O título da instalação, 168: 01, refere-se à destruição da histórica Casa da Sabedoria do século 13 -, então a maior do mundo -pelos mongóis. “Diz a lenda que eles despejaram todo o seu conteúdo no rio Tigris para criar uma ponte para atravessar, e que as páginas sangraram durante sete dias – 168 horas”, disse Bilal. “O adicional de 1 segundo é que quando eu imagino os livros brancos esgotados de conhecimento.”

A 108.01 é uma instalação elaborada com 1000 livros brancos, empilhados em uma estante, que Wafaa Bilal, na medida que for recebendo doações pelo crowdfunding -U$25,00 – irá substituir  pelo livro verdadeiro, e o branco será enviado ao doador. No final, todos os livros reais serão enviados a Bagdá.

 

 

 

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Os comentários estão encerrados.