Cleópatra deixou marcas que permanecem até hoje em Roma
26 de outubro de 2015
The pleasures and displeasures of an unusual trip
26 de outubro de 2015
Exibir tudo

 

Que venham os ventos impetuosos

As chuvas torrenciais

As trovoadas e relâmpagos

De estrondos guturais

 

Que venham as corredeiras nos despenhadeiros

Os galhos de árvore que chicoteiam o ar

As altas marés

Redemoinho de forças de se atordoar

 

Que se liberte a personalidade da natureza

Que a expressão máxima das emoções dela

Não encontre barreiras

Porque depois de toda esta explosão

Vem uma calmaria

Que nos torna mais atentos, energizados, encantados

Com senso de que a vida

É cor, sabor, aroma e estranhamento

Intensidade, realidade, pulso, movimento

 

Vida é metamorfose

Verão, inverno, outono, primavera

Nascer, crescer e morte

Vida é voz e silêncio

Encontro e distanciamento

Sobretudo o mais profundo sentimento

Que acontece a cada fração de momento

Seja de calmaria ou tormento…

(Pintura de Fyodor Vasilyev – “Before a thumderstorn”)

Comentários Facebook

comentarios

Simone Bittencourt Shauy
Simone Bittencourt Shauy
Enfermeira, escritora e ilustradora. Escrever para ela é intuição e exercício de liberdade.

1 Comment

  1. mariitaliano disse:

    Adorei entrar no site e me deparar com seu poema. Palavras intensas, que nos fazem refletir. Obrigada pela oportunidade de participar do que você, Simone, define como teu exercício de liberdade para a mente e realização para o coração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.