Ausência de arte nos subterrâneos da Capadócia dificulta estudos

Um verão na capital da República Tcheca.
11 de fevereiro de 2015
Louvre ainda é o museu mais visitado do mundo
11 de fevereiro de 2015
Exibir tudo

Ausência de afrescos nas paredes subterrâneas dificultam estudos do local

A ausência total de afrescos, pinturas, esculturas nas paredes das cidades subterrâneas da Capadócia, Turquia, dificulta estudos por parte dos historiadores de arte sobre a origem dos locais. As surpreendentes escavações feitas em tufos vulcânicos, que podem atingir entre oito e nove andares, poderão ter existido como cidade subterrânea durante o cristianismo ou foram criadas como medida de segurança durante a ameaça das invasões árabes na região.
jun2011_n4_3

Estas cidades rupestres, com seus túneis estreitos, suas chaminés de ventilação, as suas salas e corredores, representam pelo que são, sem dúvida, admiráveis obras de arte do mundo antigo.

Estima-se que existam muitas no subsolo da Capadócia, porém as mais conhecidas são as de Kaymakli e de Dreinkuyu, que se encontram entre Nevsehir-Nigde.
jun2011_n4_4

Cristianismo

A ideia de que foram construídas por medida de segurança pela população cristã se baseia no fato de que os árabes não ocupavam o território, apenas pilhavam e incendiavam as cidades conquistadas e depois se retiravam do local. Sendo por isso que a população cristã procurava um refúgio provisório, escondendo-se então nestas cidades.
novas 265

Túneis

Os sistemas de encerramento de túneis pelas pesadas mós de pedra deslizantes, os andares comunicando-se entre eles por estreitas passagens, as chaminés de ventilação e os túneis secundários de fuga, revelam uma astuciosa estratégia de defesa em caso de alerta. As salas eram construídas em diferentes dimensões, atelies de produção vinícola, dormitórios, refeitórios, igrejas, em suma, tudo que é necessário para a vida cotidiana.
jun2011_n4_6

Kaymakli

A cidade subterrânea de Kaymakli, que se encontra a 20 quilômetros a Sul de Nevsehir, foi aberta ao público em 1964 e cobre uma superfície de 2,5 quilômetros quadrados, provavelmente com sete ou oito andares. O vasto labirinto possui estábulos no primeiro andar, que coloca a hipótese de existirem outros andares inferiores ainda não desenterrados. A ausência de pintura nas paredes e a falta de expressões artísticas impossibilitam os historiadores de datarem o período de construção.

A Capadócia, localizada na Anatólia Central, na Turquia, é uma das regiões mais antigas do mundo. Em uma de suas cidades, Çatalhöyük, foi encontrado um afresco datado de mais de seis mil anos a.C., reproduzindo num primeiro plano as casas e ao fundo um vulcão expelindo lavas.
jun2011_n4_5
A formação geológica da Capadócia é resultado de duas forças naturais opostas. A primeira é o período de formação devido às erupções constantes dos vulcões da Anatólia Central que bombardeavam a zona de lava, de tufo e de outros elementos vulcânicos recobrindo os arredores. A segunda é o período de destruição causada pela erosão no fim das atividades vulcânicas.

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.