Dom Quixote construído com lixo reciclável

O riacho das crianças: Tersakan
29 de setembro de 2016
Artista daltônico faz primeira mostra em cores com ajuda da tecnologia
5 de outubro de 2016
Exibir tudo

 

Conheça a o Dom Quixote construído com lixo reciclável

A escultura gigante de Dom Quixote de la Mancha e seus fieis companheiros Sancho Pança e Rocinonte construída com 150 quilos de plásticos e sucatas,  2000 latinhas de refrigerante, 4000 mil tampinhas de cervejas e 120 câmaras de bicicletas, na galeria de entrada da Livraria Cultura, em São Paulo, é testemunho silencioso do delírio de consumo da humanidade. Mas ao mesmo tempo dá um exemplo que vai além de transformar o lixo em arte: transforma também as pessoas por intermédio da arte.

img_20160930_165309054A monumental obra idealizada pelo cenógrafo Silvio Galvão e orientada pelo mestre artesão Sandro Rodrigues, foi produzida pela  Cooperativa Social de Trabalho e Produção de Arte Alternativa e Coleta Seletiva (Cooperacs) em 2005. A escultura destaca o trabalho realizado pelo Condomínio Nacional ( conjunto comercial e residencial no centro de São Paulo, que abriga a Livraria Cultura) que há 24 anos é exemplo de coleta seletiva de lixo em edifícios.

img_20160930_165242870Dois pedaços de ferro de passar roupa fazem a orelha de Rocinonte, o colete de Sancho Pança é inteiro composto por tampinhas de garrafas, e assim por diante, tudo construído com o que a humanidade consome e joga fora. A incrível escultura homenageia o IV Centenário de Morte do escritor espanhol Miguel de Cervantes (1616-2016).

Iniciativas como a do Condomínio Nacional deveriam crescer nas grandes cidades, em particular nos edifícios, nos quais a coleta seletiva ainda deixa muito a desejar…

 

 

 

 

Comentários Facebook

comentarios

Mari Weigert
Mari Weigert
Mari Weigert é jornalista com especialização em História da Arte pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Atuou na área de cultura, como jornalista oficial do Governo do Paraná. Durante um ano participou das aulas de Crítica de arte de Maria Letizia Proietti e Orieta Rossi, na Sapienza Università, em Roma como aluna ouvinte. Acredita que as palavras bem escritas educam e seduzem pelos seus significados que se revelam na poética da vida. *IN ITALIANO (Mari Weigert è giornalista e perfezionata in Storia dell' Arte per la Embap, del Brasile. Durante un anno è stato alunna di Critica d'Arte, alla Sapienza Università di Roma. Crede nelle parole ben scritte che seducono per le sue significate in cui rivelano la poetica della vita.)

Os comentários estão encerrados.